O corpo de Fernando Vilar é velado em Taperoá e o sepultamento será às 16:)) horas

Faleceu na madrugada desta segunda-feira, 15 de Janeiro, na capital paraibana, o ex-ministro do Tribunal Superior do Trabalho, o Paraibano de Taperoá, Fernando Vilar.

Vítima de infarto fulminante, o corpo do ex-ministro do TST durante os governos de Fernando Collor de Melo e Itamar Franco, Fernando Vilar, foi sendo velado na Mortuária São João Batista, no início da avenida Epitácio Pessoa, na capital do estado, até às 17 horas, quando foi levado para ser velado na Câmara Municipal de Taperoá e o seu sepultado ocorrerá às 16:00 horas desta terça-feira na na sua cidade natal, Taperoá, no Carirí paraibano.

A notícia inesperado da morte do ex-ministro Fernando Vilar, pegou toda classe política, bancária e a imprensa paraibanas de surpresa, uma vez que o ex-ministro atuou como bancário no antigo Paraiban, foii presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, tinha um bom relacionamento com a imprensa, de um modo em geral. Foi um dos fundadores do conjunto dos Bancários, uma luta junto ao governo Tarcísio de Mirando Burity, oportunidade em que se desinava moradias para os funcionários de bancos públicos e privados de nosso estado.

Sobre o velório e sepultamento de Fernando Vilar, dentro de instantes daremos mais informações.

Ex-ministro Fernando Vilar lembra lutou para criação do Conjunto dos Bancários no final dos anos 70 (wscom)

Segundo ele, “ninguém dimensiona como foi difícil toda a implementação até porque não havia nenhuma outra experiência similar de uma categoria promovendo a sua própria estrutura habitacional, tanto que muitos dos sindicalizados não acreditavam na época nesse projeto, que no decorrer dos tempos se mostrou vitorioso”.

 O ex-Ministro do Tribunal Superior do Trabalho, Fernando Vilar, lembrou em entrevista ao Portal WSCOM das articulações que promoveu no final dos anos 70 para, na condição de presidente do Sindicato dos Bancários gerar, através de Cooperativa, o planejamento e construção do Conjunto dos Bancários inaugurado em 1978.

– Hoje vendo toda a importância do bairro fico lembrando da fase de projeção e implantação do Conjunto Habitacional, através de cooperativa que fundamos para viabilizar, entre outras ações a política habitacional em favor da categoria de bancários – frisou.

Segundo ele, “ninguém dimensiona como foi difícil toda a implementação até porque não havia nenhuma outra experiência similar de uma categoria promovendo a sua própria estrutura habitacional, tanto que muitos dos sindicalizados não acreditavam na época nesse projeto, que no decorrer dos tempos se mostrou vitorioso”.

Fernando Vilar lembrou do apoio do ex-governador Dorgival Terceiro neto em recomendar ao então presidente da Saelpa, Carlos Pereira de Carvalho e Silva, a estruturação da iluminação pública do bairro.

ONDE FICA E O QUE É?

O Conjunto Bancários é um bairro nobre localizada na zona sul da cidade de João Pessoa, capital da Paraíba.

Sua fundação foi em 26 de abril de 1978. Apresentou vertiginoso crescimento na última década, despontando como uma das áreas de maior crescimento imobiliário da capital paraibana. É atualmente o reduto preferido da emergente classe média pessoense, segmento que vem crescendo a passos largos nos últimos anos devido as condições mais favoráveis da economia brasileira. Apesar de estar fora do eixo turístico da cidade, destaca-se pela localização privilegiada, próximo as principais universidades – UFPB E UNIPÊ – da capital paraibana. Conta com uma razoável infra-estrutura que melhora a cada dia com a implementação de novos e modernos estabelecimentos comerciais na principal avenida do bairro, a Sérgio Guerra, popularmente conhecida como “Retão dos Bancários”. É considerado o melhor lugar da zona sul de João Pessoa para se morar, possuindo uma grande área de influência formada pelos bairros vizinhos de Jardim São Paulo, Anatólia, Jardim Cidade Universitária, Colibris, Castalo Branco, Mangabeira e Água Fria. Bancários possui ruas largas e arborizadas, constituídas de residências de padrão médio e também por um grande número de prédios, em sua maioria pequenos, que abrigam muitos estudantes universitários. Conta com várias instituições de ensino como Colégio Poligono Sul e Geo Sul entre vários outros estabelecimentos educacionais e comerciais.

Fonte: PBN/Gilberto Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *